31.1.06

O estranho (Para o 15o concurso maldito!)

Mariana estava se atrasando como sempre. Por mais que iniciasse o ritual banho-maquiagem-cabelo-unha (não necessariamente nesta ordem) duas horas antes, acabava atrasada. E aquele era um dia importante. Ia a um jantar com um casal que não conhecia e com seu namorado, Denis. O cara trabalhava com Denis, e a moça... Bem, a moça era a namorada do cara.
Olhos no espelho, atentos para o lápis não borrar, e o pensamento na abstrata imagem de Caio, o tal cara. A escolha das cores, cada qual com uma intenção diferente e fugaz.
Do outro lado da cidade, Lilian aguardava Caio estirada no sofá, louca pra ficar em casa e assistir um filme. Imaginava-se tendo a obrigação de ser legal com uma garota que ela nunca viu, a mesma coisa de sempre. “-Caio e essa mania de marcar as coisas sem pedir a minha opinião!” - pensava ela.
Denis e Mariana chegaram primeiro, pediram uma cerveja e esperaram. Não tinham muito que conversar... Denis olhava o cardápio enquanto ela desenhava no suor do copo, atenta ao trajeto das bolhinhas da cerveja.
-E aí, malandro! – Foi chegando o tal Caio.
Passado o momento do “Oi, tudo bem”, todos sentados à mesa e os dois contando piadas do ambiente de trabalho.
Ao contrário do que previu, Lilian não estava sendo nem falsamente simpática. Nem Mariana achava que isso fosse falta de educação da moça. As duas desviavam o olhar, mas acabavam sempre se olhando. As duas em silêncio, um silêncio total.
Mariana sentia ligeiro incômodo. A presença de Lilian lhe era confortável. Ela que queria tanto conversar com alguém, sentia-se tão bem na ausência das palavras...
Lilian bebia a cerveja, sem ignorar, simplesmente aceitava o que lhe parecia estranho.
- E vocês duas, o que acham? – Perguntou Caio.
-Sobre o que?
-A Capitu traiu ou não traiu o cara?
“Não” e “Com certeza” foram as respostas simultâneas das duas.
-Minha Nossa! Essas mulheres têm tanta certeza do que dizem!!!
E os dois riam, já meio bêbados.
Elas não riram. Olharam-se com muito.
Levantaram e saíram juntas. Deixaram na mesa o que não lhes pertencia. Os dois estranhos, os dois alheios.

6 comentários:

Cineasta 81 disse...

Não entendí porque elas deixaram a mesa nem a piada da capitu.

:(

Mas tá bem escrito. Eu é que sou ruim com piadas.

Rafael Romero disse...

Olha que bela, a Stella.
Situação bem acontecível. Aliás, acontece toda hora. Esta sociedade ostentativa...

ariadne disse...

Gente...que coisa não :-)!!!

Boa essa.

Tatiana disse...

eu, com minha mente sórdida, imaginei que as duas ficariam juntas. Um casal gay.
Veja só...

Viridiana disse...

Ideia igual a da Tatiana.
Senti-me confusa na leitura.
Abraços

quina vida disse...

ué? elas não ficaram juntas? ha.