22.5.06

RE re VO cei LU ta ÇÃO

Faça do sujeito, massa.
Pegue a massa amorfa com as mãos e encha de porrada, encha de chumbo, encha de fila, de indignidade, atire humilhação, aponte a arma e o fogo, subestime.
Deixe a massa descansando por tempo indeterminado, frente aos desfiles poderosos, ainda que seu descanso esteja repleto de impotência.
Um dia a massa toma forma de anti-herói, e nasce o anti do que antes não previra, você não se prevenira, nasce, bastardo de sua vontade, filho do seu desprezo.
Faça cara de vítima.
Atire mais humilhação, mate todos os suspeitos, mate todos os malditos, patrocine a miséria,finja que não é com você, diga que está tudo resolvido e que a paz reina enfim.
Tarde demais pro aborto que antes criticara.
A morte segue agindo, não há mais relutância alguma, matar é mais fácil que pensar. A sobrevivência depende da morte. Se fode quem tem cara de bandido. Quem tem cara de bandido?
Pouco importa se é irmão, pai ou filho.
Troque pobre por vagabundo, preto por bandido, favela por ninho.
Errando o copo de veneno sobre a mesa...
Tarde demais.

3 comentários:

Cristiano disse...

Seja bem vinda de volta ao concurso maldito!
Bom texto.

ariadne disse...

Gostei da idéia, bem vinda de volta , sim!!!

bj

Drosofila disse...

Gostei muuuuuito!